sábado, 2 de abril de 2011

Crise - Depressão Colectiva

A crise que Portugal vive (e o mundo), a crescente consciencialização por parte da população da prepotência dos líderes e seus amigos, o assalto aos bolsos dos cidadãos sem que ninguém saiba para quê, quando a única coisa onde vemos o governo aplicar esse dinheiro é nos megalómanos salários de alguns que pouco fazem, em carros de luxo, submarinos, TGVs e outros projectos que tais, faz com que o cidadão comum se veja numa situação tão precária que perdeu a confiança no futuro, não vê alternativas para sair da situação, enfim, anteveja cenários negros para os próximos tempos. Podemos dizer que a população portuguesa - falo da portuguesa porque é a que conheço melhor, mas muitos países haverão na mesma situação - se encontra numa Depressão Colectiva.

Depressão Colectiva, que é mais que a soma das depressões individuais de cada um de nós, é algo que tem unidade por si próprio, pois mesmo consegue-se ver, cheirar, sentir. Basta comparar-mos o sentimento global das pessoas de há dez anos com o das de agora. Aquilo que sentem no seu conjunto preenche os requisitos da "Depressão". É claro que isto tem consequências no nível de felicidade, auto-estima e perspectivas futuras. Se se vê à frente um futuro tão negro, como se pode andar por aí sorrindo hoje e fazendo planos para o amanhã? Os únicos planos que vemos as famílias fazerem é estabelecerem estratégias para reduzir ainda mais os custos, já que a diminuição dos ordenados e o desemprego não lhes permite pensar em aumentar as receitas. Mas reduzir os custos como? Quantos não entregaram já as suas casas ao banco, quantos estudantes não desistiram de estudar, quantos não deixam acentuar as doenças por falta de dinheiro para medicamentos, ou  mesmo para ir ao médico?

Penso que o que resta é uma crescente revolta interior, que, se se chegar a exteriorizar vai encher o país de manifestações, greves, revoluções que, apesar de ajudarem a descomprimir não nos dão pão para a boca. Tirar quem está no governo e por lá outros? Vai dar no mesmo, são todos farinha do mesmo saco, e prova disso são os níveis alarmantes das abstenções - assunto ao qual todos os políticos taparam os ouvidos, pois a todos dizia respeito.

Vamos esperar mais uns dias e arrastar-nos mais um pouco nesta "Depressão Colectiva" que apenas atinge quem não tem poder.

Sem comentários: