domingo, 2 de dezembro de 2012

A importância dos Animais de Estimação

 Eu tenho um gato; a vizinha da frente tem um caniche; a de cima tem um papagaio (que não se cala!); o meu melhor amigo tem um lagarto... Porquê esta tendência do ser humano para ter animais de estimação? Podem haver várias respostas:
- para não se sentirem sozinhos;
- para sentir o poder de dominar;
- para terem com que se ocupar (e preocupar);
- para sentirem que são realmente seres humanos.

Não somos todos iguais. Muitos daqueles que têm animais de estimação dizem tê-los por uma questão de companhia. Esta realidade, embora exista de facto, mascara muitas vezes a verdadeira razão pela qual adoptamos aqueles bichos que nos cativam, com os quais criamos uma certa empatia. 

Qualquer que seja o animal que escolhemos, este passa a ser nossa propriedade. Há à partida um sentimento de posse, algo nos pertence. Depois, esse animal passará a estar dependente de nós, a todos os níveis, desde o fornecimento de alimentação até aos cuidados de higiene e saúde. Temos algo com que nos ocupar, que preenche uma lacuna existente na nossa vida. Todos temos amor para dar. Quando não o conseguimos dar a um outro ser humano, resta-nos pelo menos a alternativa de o poder dar aos animais. Mas existe outra faceta menos nobre nesta questão: consideramo-nos superiores aos animais, somos os inteligentes, os bichinhos que estão debaixo da nossa alçada não passam de instrumentos para nos sentirmos também poderosos: afinal de contas, dependem exclusivamente de nós, muitas vezes somos os únicos que sabemos da sua existência, podemos, se quizermos, matá-los, trancá-los num quarto escuro, dar-lhes comida fora de validade... Não vamos fazer isso, claro, mas sabemos que temos esse poder. Isto pode ser válido apenas para algumas pessoas, mas é de facto uma realidade. Quantos de nós não fomos já incomodar o gato para lhe fazer umas festinhas quando

o que ele mais quer é dormir, ou obrigamos o cão a tomar banho quando ele nem sequer molhar as patas lhe apetece? Depois há o facto de nos sentirmos mais humanos perto de um animal. Na medida em que continuamente nos comparamos com os outros, comparar-nos (fazemo-lo de forma inconsciente) com os nossos bichos faz-nos parecer maiores, superiores, inteligentes... Por vezes uma forma de nos sentirmos seres humanos não é caminhar entre os nossos iguais mas sim entre os animais.

É por todas estas razões, ainda que inconscientemente assim ajamos, que temos, precisamos, de um animal de estimação. Para as crianças é uma espécie de amigo com o qual evoluem no seu crescimento; para os adultos, a questão é outra: por vezes são a única companhia que têm ao longo dos dias que são sempre iguais, sempre cinzentos. São de extrema importância e devemos agradecer-lhes por tudo o que têm feito pela humanidade.

1 comentário:

Joana disse...

Ola Ivana

Li o teu comentário no meu blog. Obg pela visita. E aki tou eu tb a comentar no teu blog. Este teu post tocou-me em especial pq adoro animais. Pra mim, penso q agem um pouco como companhia. Tenho 3 gatos, 1 papagaio e 1 canário e adoro-os a tds. No Carnaval fui 5 dias de férias, passei o tempo a dizer q tinha saudades deles. Eles tb me adoram, sei-o por coisas q fazem e dou cmg a pensar, esteja eu gorda, magra, xateada, feliz, ensonada ou seja o q fôr, eles gostam de mim sempre da mm forma e isso é espectacular, pq ñ acontece c os seres humanos.

Bjocas e as melhoras da tua depressão. É importante pensarmos q o amanhã será melhor

Joana