sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

Dezembro e os amigos

Detesto o mês de Dezembro. Eu sei, é o mês do Natal, da passagem de ano... mas por vezes sobrepõem-se as memórias ao que de bonito tem esta época. É um mês de reflexão, talvez por ser o último mês do ano. E tudo passa diante dos meus olhos como se fosse um filme, onde eu sou a única espectadora. E nesse filme eu estou sempre sozinha. Como as estações dos comboios, que ficam sempre no mesmo lugar vendo os comboios que chegam mas que sabem que partem. 
As pessoas não são boas na sua essência. Querem ser, procuram formas de se comportar como tal, argumentos para quando o não são. Eu, como pessoa, admito-o. Mas sempre o fiz. Mas outros há que apenas procuram exorcisar a culpa, como se não fosse isso o resultado da luta entre a sua consciência e a forma como se comportam; outros há que tratam as pessoas como se fossem objectos, como se se tratassem de um carro, por exemplo. Quando o adquirimos, usamo-lo, cuidamos dele, até nos preocupamos com ele. Mas depois de o vendermos, quem é que se preocupa se o novo dono o trata bem, se está numa garagem ou foi transformado em sucata? Só que as pessoas não são carros. Não podem passar pelas vidas de outras e simplesmente serem tratadas como tal. Porque a ser assim, essas pessoas só mostram que nunca sentiram ao menos amizade pelas outras, pois a amizade não desvanece com o tempo nem com a distância, sempre nos preocupamos com os amigos.
Se calhar é por isso que não gosto deste mês. É aquele em que as pessoas desejam boas festas, bom ano, ligam quando nunca ligaram o resto do ano... é um mês estranho. Respostas aprendidas! Por um mês, parece que se é o que se quer ser, não o que se é na verdade.

2 comentários:

UnDone disse...

Olá Ivana,
Tenho depressão major, e após 3 anos de depressão e de mudar de fármacos constantemente, tentei o suicidio.....
Conclusão, parti uma vertebra (a que impede-me de obrar e urinar normalmente) e esmigalhei meus pés....

O irónico é que durante os passados 3 anos ninguém apareceu, dos meus amigos..... só nos hospitais por onde andei!
Já consigo caminhar com muita dificuldade e fisioterapia.... mas não sei o que será da minha vida.
Só sei que estamos em Dezembro, e o mês que eu mais gostava, tornou-se um pesadelo.... com a agravante que a 10 Dezembro faço 41 anos.....

Ivana disse...

Eu sei bem o que isso custa, mas olhe para a frase que ilustra este post. Aqueles que não estão lá quando nós precisamos não são amigos, nós é que pensávamos que eram. Por isso não há que sentir pena ou tristeza. Na verdade acontecimentos destes servem para nos mostrar aqueles que verdadeiramente o são dos que não o são.
Quanto ao Natal... bom, após passar o Natal a chorar anos a fio, passei a encarar este mês com frieza, bem como o meu aniversário. Passaram a ser como todos os outros dias do ano. Quando não há expectativas também não decepções.
Mas a depressão faz-nos ver as coisas 10 vezes piores do que elas são. Por isso, quando conseguir vencer a depressão, tudo se vai compôr, acredite!