domingo, 17 de maio de 2015

O silencio é como uma parede que divide


Resultado de imagem para silencioDetesto silêncio! O silêncio da não-comunicação mais do que o silêncio da solidão. No primeiro o sofrimento é duplo, porque está alguém contigo mas existe uma barreira invisível que tu não consegues entender; no segundo, tu sabes que o silêncio é consequência natural de não teres ninguém com quem comunicar.
O silencio é repelente. Leva as pessoas a procurar outros meios de quebrar o silêncio. Meios nem sempre os que quer, nem sempre os mais correctos. A parede invisível funciona exactamente como uma parede de cimento: divide, torna o outro inacessível. Se não falam contigo, se tudo o que tens para dizer não interessa ao outro, isto é a semente do silêncio.

O silencio é ensurdecedor. Grita tão alto que fere os teus ouvidos como nenhum outro som. Se calhar por isso procurar ouvir música, não consegues parar por um instante, para não teres que ouvir o seu som.
O silêncio mata. Mata relações, mata pessoas, mata negócios, mata o amor. Não passa de um assassino.
Muitas pessoas não sabem que estão a ser vítimas deste silêncio. Sabem quando é que não estamos a sê-lo? Quando paramos todos os sons, a ponto de conseguirmos ouvir-nos a nós mesmos, e sentirmos-nos bem, ao invés de angustiados. Quando desligamos o rádio ou a tv e não sentimos falta deles. Quando damos a mão ao nosso/a companheiro/a, filho/a, pai/mãe, etc, e olhamos nos olhos e sorrimos, porque sabemos que fomos ouvidos e que nos ouviram, mesmo sem dizer uma palavra.

domingo, 10 de maio de 2015

É proibido ter vida pessoal!

Este post é uma cópia integral do blog farinhademandioca.wordpress.com/ (link), pois expressa exactamente o que se passa com a maioria das relações laborais em Portugal, ainda que por vergonha ou medo, muitos funcionários continuem achando que está tudo bem, e que têm é sorte por terem emprego.

"É PROIBIDO TER VIDA PESSOAL



A ordem é trabalhar. Você trabalha pouco e vive muito. Está na hora de parar de viver. Quer moleza? Senta no pudim. Engole o choro. Onde já se viu chorar no trabalho?

Vai, anda, baiano folgado. Está com saudade da mamãe? Trabalha que passa. Tem uma fila enorme na porta querendo seu lugar.

Não está conseguindo trabalhar? Pede mesada pro papai. É isso ou não é nada. Não está feliz? Vai embora.

É perda de tempo fazer curso de línguas ou um esporte para ficar em forma. Primeiro porque você não vai ter tempo de ir, segundo porque seu jantar vai ser pizza com coca pet.

Lembre-se da minha entrevista de emprego: perguntei se você morava só ou dividia apartamento, se tinha filho, se cursava uma universidade. Tem que ser bom e barato.
Quebrou o pé? Pega táxi. Não tem prazo? Vira a noite. Separou? Sorte sua. Cada um tem o que merece.

Que porra de trabalho é esse? Não tem medo de perder o emprego? Isso que dá contratar nordestino. Volta pra pátria que te pariu, filhote de cruz credo.

Nem seguro desemprego você merece. Vou te demitir por justa causa. Está no contrato. Quem mandou ter vida pessoal?"